Itália pede ao Paquistão que extradite pais de adolescente desaparecido

Policiais usando máscaras faciais de proteção verificam documentos de motoristas do surto COVID-19 em Ostia, perto de Roma, Itália, 13 de abril de 2020. - Arquivo Reuters

Policiais usando máscaras faciais de proteção verificam documentos de motoristas do surto COVID-19 em Ostia, perto de Roma, Itália, 13 de abril de 2020. - Arquivo Reuters

  • O anúncio ocorre após a notícia da prisão do tio de Saman em Paris.
  • O caso gerou indignação na Itália, tornando-se notícia desde o início das investigações em maio.
  • Saman, residente na cidade de Novellara, no norte da Itália, se recusou a se casar com uma prima no Paquistão.

ROMA: A Itália anunciou ter pedido ao Paquistão a extradição dos pais de uma menina de 18 anos suspeita de ter sido assassinada por sua família após recusar um casamento arranjado.





O anúncio foi feito depois que surgiram notícias na quarta-feira de que o tio de Saman Abbas, de 18 anos, havia sido preso em Paris. Ele foi acusado de seu assassinato ao lado de seus pais e dois de seus primos.

O caso gerou indignação na Itália e virou notícia de primeira página desde que a polícia começou a investigar o desaparecimento do adolescente em maio. Seu corpo ainda não foi encontrado.



'A ministra da Justiça, Marta Cartabia ... assinou e enviou ao Paquistão os dois pedidos de extradição dos pais de Saman Abbas, que estão sob investigação pelo assassinato de sua filha', disse o ministério da justiça na quinta-feira.

Os promotores anunciaram na quarta-feira a prisão com base em um mandado europeu do tio do adolescente nos arredores de Paris.

Saman Abbas, que morava na cidade de Novellara, no norte da Itália, recusou no ano passado o plano de sua família de casá-la com um primo em seu país natal, o Paquistão.

Quando ainda era menor de idade, ela recorreu ao serviço social e, em novembro, foi transferida para um abrigo. Ela também denunciou seus pais à polícia, mas foi no dia 11 de abril que voltou para eles.

A polícia começou a procurá-la em 5 de maio, quando os policiais visitaram sua casa e não encontraram ninguém.

Os policiais descobriram então que os pais da menina haviam partido para o Paquistão sem ela e encontraram imagens de uma câmera de segurança próxima que os fez temer o pior.

No final do dia 29 de abril, cinco pessoas puderam ser vistas saindo de casa segurando pás, um pé de cabra e um balde, e voltando depois de cerca de duas horas e meia.

Um primo acusado no caso está atualmente preso na Itália.

Recomendado